Livro que Li: A Última Música, Nicholas Sparks


 Sinopse: Mais uma vez Nicholas Sparks nos mostra porque é considerado o mestre do romance moderno e porque seus livros são adorados por leitores de todo o mundo. Seguindo a tradição de seus mais belos romances, ele agora nos apresenta uma comovente história sobre família, amizade, amor, amadurecimento e especialmente sobre como perdoar e recomeçar. 
Aos dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virar de cabeça para baixo, quando seus pais se divorciam e seu pai decide ir para a praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que seria melhor os filhos passarem as férias de verão com o pai na Carolina do Norte. 
O pai de Ronnie, ex-pianista, vive tranquilamente na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação do pai e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda, começa a apaixonar-se profundamente por ele, abrindo-se para uma nova experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade – e dor – jamais sentida. 
Uma história inesquecível de amor, carinho e compreensão – o primeiro amor, o amadurecimento, a relação entre pais e filhos, o recomeço e o perdão - A Última Música demonstra, como só Nicholas Sparksconsegue, as várias maneiras que o amor é capaz de partir e curar seu coração.
Nº de Páginas: 383
Editora: Novo Conceito
***
Sabe aquelas histórias que mechem demais com a gente, então... A história da Ronnie fez isso comigo. Ela uma adolescente rebelde que mora em Nova York, vai passar as férias de verão com o pai na Carolina do Norte, isso contra a sua vontade, ela não conversa com o pai há três anos, desde a separação dos pais. Ao chegar na casa do pai logo sai para a rua e acaba fazendo amizade com as pessoas erradas, mas acaba se esbarrando no Will. Um cara muito lindo, que encherga em Ronnie muito mais do que aquela rebeldia exterior, ele logo ver que por dentro ela não é como parece. 
Bem ela acaba depositando a confiança em Blaze contando sua história, e a Blaze acaba usando isso contra ela. Mas com isso ela acaba se aproximandoo do Will e de seu pai.
Para mim, a parte da história que mais mexeu comigo não foi o relacionamento dela com o Will, e sim com o pai. Acho que por causa da minha relação com o meu pai, todas as histórias entre pais e filhos mexem muito comigo.
Na primeira vez que li esse livro (essa foi a terceira) chorei horrores, de soluçar, sabem... E mesmo agora não tem como não se emocionar, não choro de soluçar, mas ainda choro. Então para quem gosta de histórias emocionantes esse é o livro certo.
Beijos!!!

Nenhum comentário

Postar um comentário